Hospitais Dona Regina e Infantil recebem espaços lúdicos para atender pessoas em situação de violência

16/05/2017 - Aldenes Lima e Luciene Lopes/Governo do Tocantins

Garantir uma ambiência mais adequada, com conforto e que atenda às necessidades que o público precisa é o que se busca com a entrega da ampliação do espaço onde funciona o Serviço de Atenção Especializada às Pessoas em Situação de Violência Sexual (Savis) no Hospital e Maternidade Dona Regina (HMDR), e o novo espaço do Serviço de Referência no Atendimento de Crianças em Situação de Violência no Tocantins (Savi), localizado no Hospital Infantil de Palmas (HIP). As inaugurações serão nesta quarta-feira, 17, às 15h30 e às 16h30, no Dona Regina e no Infantil, respectivamente. As entregas vão contar com a presença de parceiros como o Instituto Sabin, e órgãos integrantes da Rede de Proteção às Pessoas em Situação de Violência.

Savis no Dona Regina

Em funcionamento desde 2012, o Savis já atendeu aproximadamente mil vítimas de violência sexual, de todas as idades e de ambos os sexos. A estatística de atendimento da unidade, segundo a coordenadora do serviço, Zelma Moreira, não condiz com a realidade, já que muitas pessoas ainda desconhecem o serviço, bem como não sabem sobre a segurança e o sigilo com os quais ele é ofertado. “A população precisa saber que todas as pessoas podem ser atendidas. Aqui, oferecemos a profilaxia, que evita a contração de doenças sexualmente transmissíveis e a gravidez indesejada, e, no caso da gravidez, já ter ocorrido, o Dona Regina é autorizado a fazer o aborto legal”, destacou.

O sigilo e a segurança destacados pela coordenadora ganharão mais um reforço com a ampliação do espaço físico, que passará a ter duas salas de atendimento, uma sala de coleta de vestígios para a cadeia de custódia, em fase de implantação em parceria com a Secretaria de Estado da Segurança Pública; sala para guardar os vestígios; sala de arquivo e uma ludoteca, voltada especialmente para o público infantil.

Savi no Infantil

Desde sua implantação, em 2015, o número de crianças atendidas no Savi tem aumentado significativamente. De junho a dezembro daquele ano, foram realizados 45 atendimentos. Já em 2016, 378 crianças foram acompanhadas, e até abril deste ano, o número atinge a marca de 148 atendimentos.

Com a crescente demanda, a coordenadora do serviço, Rosivânia Tosta, conta que, ao perceber a necessidade do espaço lúdico para auxiliar no acompanhamento dessas crianças, propôs, juntamente com a equipe, a criação de uma Ludoteca no pátio do Hospital Infantil. A casa da árvore, como é conhecida, foi construída com apoio do Instituto Sabin e diversos outros parceiros e colaboradores.

Atendimentos

Os atendimentos do Savis e do Savi acontecem 24 horas por dia, com uma equipe multiprofissional, em regime de urgência e emergência, para o primeiro atendimento e o acompanhamento ambulatorial.

As vítimas podem ter acesso aos serviços por meio de encaminhamento de outros órgãos da Rede de Proteção (demanda referenciada), por meio da procura espontânea de familiares ou responsáveis (demanda espontânea) e ainda, a identificação feita pelos profissionais de saúde ou segurança, que perceberem a situação de violência.

Programação

Em continuidade à programação em decorrência do Dia Nacional de Combate à Violência e Exploração Sexual contra Criança e Adolescentes, no dia 18, às 10 horas, a diretora do Hospital Infantil de Palmas, Leiliane Alves da Silva, e a coordenadora do Savi, Rosivania Tosta, participarão de uma ação educativa realizada pelas secretarias municipal de Saúde e Ação Social da cidade de Paraíso do Tocantins.

Já às 16h30, em Palmas, as equipes do Savi e Psicologia e Brinquedoteca do HIP realizarão atividades educativas na Ludoteca do Infantil. As duas atividades contarão com a participação de acadêmicos da Universidade Federal do Tocantins (UFT) que atuarão como animadores infantis.

Compartilhe esta notícia