Tocantins mantém saldo positivo de empregos no mês de junho

19/07/2017 - Jesuino Santana Jr/Governo do Tocantins*

Junho é o 4º mês deste ano em que o Tocantins registra saldo positivo na geração de novos postos de trabalho com carteira assinada. De acordo com dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), nessa segunda-feira, 17, houve um total de 4.415 admissões contra 3.942 desligamentos, gerando um saldo de 473 vagas, ou seja, uma variação positiva de 0,37%.

Foram pesquisados, pelo Caged, os municípios do Estado com população acima de 30 mil habitantes, sendo eles: Araguaína, Araguatins, Colinas do Tocantins, Gurupi, Palmas, Paraíso do Tocantins e Porto Nacional. Destes, apenas Gurupi e Paraíso registraram saldo negativo na geração de novos postos de trabalho.

Segundo o Caged, em Araguaína, o saldo positivo foi de 62 novas vagas; em Araguatins, 8; Colinas do Tocantins, 52; Palmas, 363; e Porto Nacional, 55. Já Gurupi registrou déficit de 24 postos; e Paraíso, de 43. A construção civil foi o setor que mais contratou, por sua vez o setor de agropecuária foi que o mais demitiu.

Balança Comercial

Na esteira dos números positivos, a Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto) divulgou, no dia 13 de julho, a Balança Comercial referente ao primeiro semestre de 2017. O estudo mostra que o número de exportações aumentou 32,6% e as importações aumentaram 147,5% no Tocantins em comparação ao primeiro semestre de 2016.

A soja é o produto mais exportado do Tocantins, seguido por carnes desossadas de bovinos. Porto Nacional aparece em primeiro lugar no ranking das cidades que mais movimentam o comércio exterior tocantinense. Palmas ocupa o segundo lugar nas exportações do primeiro semestre, subindo 6 posições se comparado ao mesmo período de 2016, devido ao aumento nas exportações de soja, bijuterias e outros artefatos confeccionados, incluídos moldes para vestuário. O principal parceiro comercial do Tocantins nas exportações é a China que demanda, principalmente, soja, couros e peles de bovinos.

Governo Capacita

Mais do que intermediar vagas de trabalho, o Sistema Nacional de Empregos (Sine) do Tocantins vem desenvolvendo uma ação estratégica de investir na capacitação dos trabalhadores para ampliar o acesso ao mercado profissional e a manutenção do emprego, por meio do Programa de Orientação Profissional e de Carreira (POPC), que tem por objetivos a inserção, a reinserção, a permanência no mercado e o crescimento da carreira, promovendo cursos gratuitos de capacitação e que atendem, também, as demandas mercadológicas.

"O caminho é procurar se capacitar, melhorar as habilidades e aumentar as chances de empregabilidade. Mais do que ser profissional, é preciso, também ter um perfil de constante melhoria e de investir em conhecimento pessoal”, apontou a secretária de Estado do Trabalho e Assistência Social, Patrícia do Amaral.

Desde que foi criado, o POPC vem apresentando expressivo crescimento. Em 2016, foram capacitadas 3.140 pessoas em todos os polos do Sine Tocantins, nas cidades de Palmas, Araguatins, Araguaína, Guaraí, Paraíso do Tocantins, Porto Nacional, Dianópolis e Gurupi. Somente no primeiro trimestre de 2017, o programa já capacitou 1.746 trabalhadores e a meta para o ano é de 5.000 pessoas se qualificando para melhorar suas habilidades profissionais.

O sucesso do programa caminha lado a lado com uma mudança que o Sine fez na sua própria metodologia de trabalho, com a implantação da captação de vagas por meio do telemarketing. Com isso, atualmente, são três formas do Sine encontrar postos para intermediar a inserção profissional: com as empresas procurando o órgão; com o Sine buscando as instituições via captação externa; e por meio do telemarketing. Com a implantação da modalidade, cresceu em mais de 50% o número de vagas ofertadas para o Tocantins. Como comparativo, no mês de fevereiro deste ano, o Sine contava com 205 postos de trabalho para intermediação; em maio, o órgão contava com 504 novas vagas de emprego.

Atualmente, o Sine Palmas recebe em média 2.500 pessoas por mês em busca de oportunidades de trabalho e, com a implantação do POPC e do Telemarketing, conseguiu aumentar significativamente o número de encaminhamentos às vagas. Com a ação estratégica de buscar mais postos no mercado, em maio, o Sine encaminhou 1.393 trabalhadores ao mercado, quase o dobro de pessoas do mês de janeiro, que foi de 692 candidatos.

Os interessados em realizar o seu cadastro no Sine devem procurar uma das unidades em Palmas ou nos municípios de Araguaína, Araguatins, Dianópolis, Guaraí, Gurupi, Paraíso, Porto Nacional, munido dos seguintes documentos: Carteira de Identidade, CPF, Carteira de Trabalho e Comprovante de Residência. As vagas disponíveis são divulgadas também nos sites www.setas.to.gov.br e www.maisemprego.mte.gov.br.

Sine Fácil

Desenvolvido pela Dataprev, o aplicativo Sine Fácil é gratuito e leva, ao trabalhador, os serviços do Sine a partir de dispositivos conectados à internet, como celulares e tablets. Para utilizá-lo, o trabalhador deverá ter um código de acesso (QR Code), que pode ser obtido no portal Emprega Brasil, nas unidades de atendimento do Sine, no termo de homologação que ele recebe no ato da rescisão de contrato ou na solicitação do Seguro Desemprego.

Cenário Nacional

Conforme o Caged, o Brasil abriu 9.821 vagas de emprego formal em junho. Esse é o 3° resultado positivo consecutivo do indicador, decorrendo de 1.181.930 admissões e 1.172.109 demissões. A geração líquida de 9.821 vagas de emprego em junho foi o primeiro resultado positivo para o mês desde 2014.

No acumulado do primeiro semestre de 2017, há uma abertura de 67.358 postos de trabalho com carteira assinada. Nos 12 meses até junho, há fechamento de 749.060 vagas.

Caged

O Caged apresenta o levantamento do número de demissões e contratações que ocorrem no Brasil, e contabiliza aqueles que trabalham com carteira assinada, ou seja, regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Além do controle que o governo federal realiza no fluxo de demissões e contratações para medir o crescimento do emprego no país, o cadastro serve como base de estudos para que sejam revisados os programas de subsídio ao emprego em determinadas áreas.

(Com Colaboração de Cejane Borges)*

Compartilhe esta notícia