Construção de barraginhas contempla 75 propriedades rurais em Santa Rosa

22/08/2017 - Suene Moraes/Governo do Tocantins

No penúltimo município atendido pela Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) com o Projeto Barraginhas, Santa Rosa, serão atendidas 75 propriedades da agricultura familiar, distribuídas em dois assentamentos rurais. As obras iniciadas na semana passada devem ser finalizadas no próximo dia 25 e conforme o cronograma, as máquinas seguem para a última cidade da região sudeste beneficiada pela a ação, Chapada da Natividade.

Assim como nas outras localidades, o Projeto é realizado em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural (Ruraltins) e atenderá as famílias do assentamento Bom Jesus e Carajás. As barraginhas são idealizadas para impedir que a água da chuva cause erosão e leve a terra para o leito dos rios, resultando no assoreamento, além de penetrar no solo, possibilitando assim a revitalização dos corpos hídricos.

O plano desenvolvido pelos técnicos da Semarh, segundo a secretária Meire Carreira, foi voltado para o atendimento de 17 municípios da região sudeste. “É um território em que falta de água castiga os agricultores. As barraginhas que foram construídas no ano passado e já estão ajudando o homem que vive no campo. É um projeto com um investimento baixo, porém de alto impacto social e ambiental”, destacou a gestora.

Municípios

Na cidade de Combinado, um dos primeiros municípios atendidos pelo Projeto e que recebeu 200 barraginhas, a iniciativa mudou a realidade local. “Com a chuva no primeiro semestre as barraginhas guardaram água e hoje posso irrigar minha plantação e ajuda muito a matar a sede do meu gado, em anos anteriores já perdi bicho por causada seca”, explicou o produtor rural Jaci Marques de Oliveira, da Fazenda 4 Irmãos.

Já em Taguatinga o agricultor Vicente de Paula, do assentamento Ponta D’Água, relata que o córrego próximo a sua propriedade já secou. “Para que minhas criações não morram são as barraginhas que me ajudam, sem água é muito difícil. Tenho três bacias aqui na minha área que estão sendo minha salvação”, disse.

Projeto           

 Ao todo estão sendo investidos em torno de R$ 2 milhões, por meio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos, para construção de 3.564 pequenas bacias no total.

O Projeto atende ainda os parâmetros da Agenda de Desenvolvimento Sustentável Pós-2015, agora chamada Agenda 2030, que engloba um conjunto de programas, ações e diretrizes que orientarão os trabalhos das Nações Unidas e de seus países membros rumo ao desenvolvimento sustentável.

Iniciado em abril de 2016, o Projeto já atendeu até o momento 16 cidades: Taguatinga, Ponte Alta do Bom Jesus, Taipas, Arraias, Novo Alegre, Combinado, Lavandeira, Aurora do Tocantins, Novo Jardim, Rio da Conceição, Dianópolis, Porto Alegre, Almas, Natividade, São Valério da Natividade e Santa Rosa do Tocantins.

Compartilhe esta notícia