Agricultura realiza pesquisa nas áreas de florestas plantadas do Tocantins

20/09/2017 - Eliane Tenório/Governo do Tocantins

Com objetivo de realizar um estudo sobre as florestas plantadas no Tocantins, uma equipe do Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), e técnicos do Sistema de Informações para Planejamento Florestal do Cerrado Brasileiro (Siflor Cerrado), estão nesta semana, de 18 a 30, realizando visitas em diversas propriedades do Estado.

Nesta primeira semana de trabalho, de 18 a 22, as equipes visitam plantios florestais na região de Novo Acordo, Rio Sono e Lizarda. Já na próxima semana, de 25 a 30, os técnicos vão levantar dados em propriedades dos municípios de Brejinho de Nazaré, Aliança, Alvorada, Jaú, Peixe, Gurupi, Dueré e Formoso do Araguaia. Atualmente, o Tocantins possui mais de 160 mil hectares de florestas plantadas, sendo o eucalipto a principal espécie, com potencial para o setor de celulose e energia.

O estudo visa realizar o levantamento dendométrico das florestas plantadas, (eucalipto, teca, cedro, mogno, entre outras), bem como traçar o perfil dos silvicultores das regiões estudadas. As ações visam ainda organizar o setor madeireiro e construir um banco de informações técnicas sobre espécies melhores adaptadas no Tocantins. As ações estão sendo realizadas em parceria com a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), uma unidade da Universidade de São Paulo (USP- SP), por meio do Projeto Siflor.

A atividade faz parte da Meta 1 e da etapa 1 do Convênio Siconv nº 793211/2013, que tem como foco principal missões técnicas aos polos de produção de eucalipto, de acordo com a engenheira florestal, Arlete Leite.

Siflor

O projeto é desenvolvido em vários estados que têm o bioma Cerrado. A ferramenta pode ajudar produtores e técnicos dos serviços de extensão rural na escolha de espécie de plantios florestais, tanto em sistemas de monocultivo como Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), considerando os aspectos: adaptação ao clima e solo, produtividade, mercado regional e, disponibilidade de material genético. No Tocantins, o programa é desenvolvido com apoio do Governo do Tocantins, por meio da Seagro.

Compartilhe esta notícia