Estudantes participam de formação para acolhimento de novos alunos das escolas em tempo integral

13/11/2017 - Abrão de Sousa/Governo do Tocantins

Nesta segunda-feira, 13, em Palmas, teve início a formação para os Jovens Protagonistas Acolhedores. A ação se estende até terça-feira, 14, e é parte do processo de transferência das tecnologias conhecidas pelo Instituto de Corresponsabilidade Educacional (ICE) para a sua consolidação no programa no âmbito da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc).

O objetivo principal do trabalho é preparar os jovens protagonistas locais para acolherem, em suas escolas, os novos alunos para o ano de 2018, visto que todos irão atuar como mobilizadores de estudantes e multiplicadores da formação nas escolas com o apoio da gestão, da coordenação, compondo o time dos Jovens Protagonistas Acolhedores.

No Tocantins, 12 escolas fazem parte do programa Escola Jovem em Ação. Cada uma dessas escolas tem cinco alunos participando da formação, juntamente com o diretor e o coordenador pedagógico, além de um representante de cada Diretoria Regional de Educação, formando a equipe completa de trabalho.

Ao retornarem às unidades escolares, os estudantes irão atuar como multiplicadores no acolhimento de novos estudantes, familiares e responsáveis, onde eles atuarão de maneira corresponsável, juntamente com a gestão escolar.

Para participar do programa Escola Jovem em Ação, na condição de multiplicador, os estudantes devem atender alguns critérios. Espera-se que o aluno seja extrovertido e capaz de transformar o ambiente escolar.

Conforme a tenente da Polícia Militar, Louise Alcanfor, que acompanha os estudantes do Colégio da Polícia Militar de Palmas (CPM), o programa influencia na mudança comportamental do aluno. “O programa Jovem em Ação ajuda na busca de um ideal de solidariedade, o que contribui para a maior participação do aluno nas atividades escolares de maneira corresponsável”, explicou.

Segundo Pedro Yzídio Rodrigues Gomes dos Santos, estudante da 1ª série do Centro de Ensino Médio Dona Filomena, de Miracema, estudar em uma escola em tempo integral aumenta a possibilidade de ingresso no ensino superior. “Agora, tenho mais tempo para dedicar aos meus estudos. Posso melhorar meus conhecimentos. Desejo cursar Direito e seguir a carreira de perito”, afirmou.

De acordo com Priscilla Arataque Lomazzi, diretora do Centro de Ensino Médio Oquerlina Torres, de Guaraí, o programa é amplo e promove a formação integral do cidadão. “Esse trabalho transcende o espaço da escola, abrangendo outras habilidades que vão além dos conteúdos ensinados em sala de aula”, ponderou.

A autonomia do jovem ajuda na aprendizagem. “Empoderar o jovem para a participação na escola influencia na melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem”, ressaltou Isabel Botelho, coordenadora pedagógica do CPM de Palmas.

Compartilhe esta notícia