Visitadores do Programa Criança Feliz passam por capacitação

04/12/2017 - Cláudio Duarte/Governo do Tocantins

Voltada para supervisores e coordenadores municipais, teve início na manhã desta segunda-feira, 4, no espaço da UniCesumar, em Palmas, a 2ª etapa da Capacitação do Programa Criança Feliz (PCF), com o objetivo de discutir a metodologia do planejamento e realização da visita domiciliar adotada pelo Programa Cuidados para o Desenvolvimento da Criança (CDC).

“Esta etapa da capacitação tratará, entre outros assuntos, da postura do visitador frente às famílias e crianças, porém ela é especifica para coordenadores e supervisores, porque é de competência deles multiplicar essas informações aos visitadores em seus municípios”, disse a coordenadora estadual do Programa, Katilvânia Guedes, que complementa  “os supervisores e coordenadores já sairão daqui com um cronograma de execução do treinamento que deverá ser oportunizado aos seus visitadores, uma vez que essas informações são essenciais para garantir a autonomia e a competência necessárias à melhoria na qualidade da execução dessas visitas”.

Capacitação

A capacitação ministrada pela equipe de multiplicadores estaduais da Secretaria de Estado do Trabalho e da Assistência Social (Setas) atenderá os municípios em quatro turmas; sendo duas turmas a partir desta segunda-feira, 4, até as 12 horas de quarta-feira, 6, e as outras duas turmas das 14 às 17h30 também na quarta-feira, 6, e das 8 às 17h30 na quinta e na sexta-feira, 7 e 8, correspondendo a uma carga horária de 20 horas.

“Sabemos que o programa exige preparo dos visitadores para interagir de forma padronizada sendo, porém necessário estarmos atentos às diferenças existentes em cada grupo familiar”, disse Josiane Ribeiro Brandão, coordenadora e supervisora do PCF em Goianorte, que conta com uma equipe atuando nas visitas desde agosto e que espera ao final dessa capacitação melhorar a qualidade nessa interação.

Bianca Cristina Martins, coordenadora do PCF na cidade de Caseara, a 260 km de Palmas, acredita que a capacitação venha responder a algumas dúvidas ainda existentes no que abrange as visitas. “Ainda temos algumas dificuldades com relação à prática das visitas, mas acredito que sairemos daqui com as respostas a serem repassadas a nosso grupo de visitadores, e que, a partir dessas informações, estaremos mais qualificados para atuar com as famílias”, apontou.

Compartilhe esta notícia