Reenducandos da Casa de Prisão Provisória de Palmas realizam sonho e se casam

07/12/2017 - Jaqueline Moraes/Governo do Tocantins

Descobrir novos horizontes, sonhar e projetar uma nova vida pode ser plano de muitas pessoas que estão em situação de privação de liberdade. Assim, a instituição Resgate Sem Fronteiras, com o apoio da Secretaria de Estado da Cidadania e da Justiça (Seciju), organizou o casamento de dois reeducandos da Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP), na manhã dessa quarta-feira, 6. Após o culto ecumênico e consolidação da cerimônia os casais comemoraram junto aos familiares e servidores da Seciju e da CPPP.

A cerimônia de casamento civil com efeito religioso consolidou o matrimônio do interno A. F. com P. V., que aguardavam pelo casamento após firmar noivado há um ano. Já o interno J. B. R. juntou-se à M. do R.. Os dois já viviam na condição de união estável, mas tiveram a oportunidade de afirmar o compromisso na ocasião.

O assistente social do Sistema Prisional, Leandro Bezerra, explicou que o casamento é um direito. “A situação dos reenducandos é de privação de liberdade, conforme determinado pela Justiça, porém compreendemos que a garantia dos direitos, como constituir família e a manutenção dos vínculos com a comunidade, são essenciais para o processo de reintegração social”, explicou.

A voluntária da instituição Resgate Sem Fronteiras, Valbenis Souza Guimarães, contou que os internos estavam aguardando ansiosos pelo casamento. “Eles procuraram a gente para ajudar nesse processo do casamento, com documentação, cartório, cerimônia e para apoiar as esposas também. Quando a papelada ficou pronta, eles ficaram muitos felizes”, lembrou. Valbenis também explicou que, antes da cerimônia, os casais passaram por um estudo sobre a importância do casamento.

Compartilhe esta notícia