Escolas do norte do Estado apontam avanços na aprendizagem com as avaliações diagnósticas

09/02/2018 - Josélia de Lima/Governo do Tocantins

Com a realização das avaliações diagnósticas e dos simulados para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), algumas escolas da rede estadual do Tocantins estão apresentando significativos resultados no ensino e na aprendizagem. Essas avaliações fornecem, às escolas, um estudo sobre o nível de ensino e de aprendizagem, sendo subsídios para a realização do planejamento das aulas para o ano letivo.

No Colégio Estadual Antenor Barreira, localizado na cidade de Goianorte, a gestora Maria da Guia Dias de Aguiar explicou que um dos primeiros passos para promover uma transformação na escola foi a realização de projetos e iniciativas para promover a autoestima dos alunos. “A maioria dos nossos estudantes são provenientes da zona rural e, muitas vezes, vem à escola sem motivação e expectativa de um futuro promissor. Conversamos com eles e mostramos as oportunidades que a escola oferece”, contou.

Maria da Guia citou também o alinhamento de conteúdos, o Guia de Orientações Pedagógicas da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes, instrumentos que ajudaram a escola a desenvolver um trabalho sistemático, definindo as metas a serem alcançadas.

Outra iniciativa foi aproximar a família da escola. “Promovemos reuniões com os pais e abordamos sobre a sua responsabilidade com a escola, falamos sobre quais os direitos e deveres de seus filhos e sobre o que está sendo feito para que a aprendizagem realmente aconteça. Assim, os nossos alunos poderão concorrer de forma mais igualitária a uma vaga na faculdade, trazendo melhorias para a nossa cidade”, frisou a gestora Maria da Guia.

O estudante Lazaro Lourenço Neto destacou a reforma realizada na escola que melhorou o ambiente de convivência. “A unidade escolar recebeu nova pintura, novos quadros, teve a cantina reformada, ganhamos novas carteiras e a merenda escolar ficou mais saborosa. E também gostei de fazer o Simulado do Enem para me preparar melhor para as provas”, frisou.

O coordenador pedagógico Moisés Ribeiro de Camargo explicou que escola ficou mais dinâmica. “Conseguimos realizar os jogos interclasses, a festa das mães, palestras com representantes do Conselho Tutelar, reunião com pais, o planejamento pedagógico e recebemos uma visita de interação com alunos do IFTO [Instituto Federal de Educação] de Paraíso”, disse.

Fortalecimento da aprendizagem

No Colégio Estadual Ary Ribeiro Valadão Filho, localizado em Colmeia, também houve uma transformação em 2017. A escola recebeu muitos alunos com déficit de aprendizagem, então, a equipe de professores realizou mutirões para ajudar esses alunos a avançarem nos estudos. E, nos intervalos das aulas ou no contraturno, um professor auxilia os alunos a melhorarem a compreensão dos conteúdos ministrados em sala de aula.

Lá, a gestora Keiliene de Jesus Lima contou que a escola realizou uma série de ações para incentivar o aluno, como o projeto Noite de Talentos. Nesse evento, houve premiação para os estudantes que mais leram livros, para aqueles que ajudaram na biblioteca, como voluntários, e para os estudantes solidários que ajudaram outros na resolução de tarefas.

“Percebemos que todas essas ações foram primordiais para reduzir as taxas de reprovação, de evasão e observamos que os nossos alunos melhoraram muito na leitura e na escrita”, frisou a gestora.

A estudante Raissa Cristine Ferreira Machado, de 12 anos, aluna do 8º ano do ensino fundamental, ressaltou que está mais firme nos estudos. “Com as atividades diversificadas e os projetos como a gincana da Matemática e o Soletrando, percebi que aprendemos mais”, afirmou.

Programa Novo Mais Educação

Na Escola Estadual Morro do Mato, em Goianorte, o que motivou uma transformação foi o programa Novo Mais Educação, que promove no contraturno atividades de Língua Portuguesa e Matemática.

“Fizemos o realinhamento dos conteúdos e nivelamento das turmas e percebemos que houve um padrão no ensino e na aprendizagem”, explicou a coordenadora pedagógica Eulânia Gomes.

Compartilhe esta notícia