Balanço Secretaria Infra-estrutura

30/12/2003 - Adriana Borges

Em dezembro de 2002 o Estado tinha 3.221,00 km de rodovias estaduais pavimentadas, um ano depois, dezembro de 2003, já são 3.652,00 km, um acréscimo de 431,00 km pavimentados em 2003. O Estado possui hoje 14.788,00 km de rodovias sendo que 12.046,00 km são Estaduais e 2.742,00 km são Federais, deste total 5.031,00 km são pavimentados sendo 3.653,00 km Estaduais e 1.378,00 km Federais.No ano de 2003, no programa de pavimentação da malha rodoviária estadual, o Estado está com 39 trechos em andamento, totalizando 1.628,00 km, destacando a duplicação de Palmas / Taquaralto, Entronc. BR-153 / Arapoema, Monte do Carmo / Ponte Alta do Tocantins, Palmeirópolis / São Salvador / Paranã, Bielândia / Barra do Ouro / Morro Grande, Goiatins / Campos Lindos, Palmas / Novo Acordo, Araguaçu / Sandolândia, Lagoa da Confusão / Marianópolis e Ananás / Natal / Entronc. BR-230 entre outras. Há em andamento também 68 pontes de concreto armado totalizando 4.197,00 metros, sendo 2.371,00 metros concluídos esse ano e 923,00 metros de galerias de concreto, sendo 812,00 metros concluídos esse ano. O total dos investimentos nessas obras foram da ordem de R$ 335.000.000,00.PROJETOS ELABORADOS PELA DITEC – DIRETORIA TÉCNICA DO DERTINS1. Elaboração para projetos de terraplenagem e pavimentação asfáltica de 1.325,25 Km de rodovias, totalizando investimentos na ordem de R$ 7.550.095,21.2. Elaboração de 4.197,20m de projetos de pontes de concreto armado, de lajes pré-moldadas;3. Vistoria e supervisão de 614,75 Km de projetos rodoviários, supervisão ambiental de 72 obras rodoviárias, civis e recuperações ambientais;4. Análises e estudos de topografia e controle tecnológico em todo o Estado;5. Participação nos 18 encontros regionais e preparação do PPA 2004/2007 do Estado;6. Elaboração de Estudos Ambientais (EIA/RIMA, PCA, RCA) para 14 obras rodoviárias através de contratação;7. Elaboração de 13 termos de Referência e Planilhas de Custo para a contratação de Projetos Rodoviários e pontes e de Estudos Ambientais de obras rodoviárias e pontes;8. Análise e Acompanhamento dos Trâmites Processuais relacionados a Projetos rodoviários e de Licenciamento Ambiental de obras rodoviárias e outros;9. Acompanhamento, supervisão e análise de 10 Estudos Ambientais;10. Requerimentos de licenciamento ambiental para 66 obras rodoviárias e civis, bem como licenciamento ambiental de 76 obras no Estado11. 11 reuniões de negociação com Ministério Público e outras instituições de Termos de Ajustamento de Conduta, Denúncias e Convênios;12. Elaboração de 40 Diagnósticos Ambientais, levantamentos florestais e outros documentos;13. Colaboração e relacionamento com 12 órgãos estaduais e federais e empresas privadas;14. Capacitação de pessoal.Benefícios econômicos e sociais para o EstadoGeração de empregos diretos e indiretos, com utilização de mão de obra no local de cada obra; escoamento da produção com rapidez e segurança, bem como a facilidade para entrada de insumos no interior do Estado; interligação da malha rodoviária estadual com a malha rodoviária federal principalmente com as rodovias BR-153 e BR-226, promovendo a ligação com os Estados vizinhos, incrementando o intercâmbio cultural e comercial e a melhoria nas condições de PERTINS – PROGRAMA DE ELETRIFICIAÇÃO RURAL DO TOCANTINSAtravés do Programa PERTINS o Governo do Estado já implantou 17.074,00 km de redes de distribuição de energia elétrica em alta e baixa tensão para o meio rural, tendo dessa maneira atuado nos 139 municípios do Estado e atendido 15.842 famílias. Somente em 2003 o programa executou 8.178,00 km de rede, atendendo 7.075 consumidores não só na zona rural como também em assentamentos e povoados. O valor dos investimentos foi da ordem dos R$ 34.000.000,00.A DIRES, através do PERTINS e de convênio com o INCRA, executou 1.158,00 km de rede rural; executou também 10.000,00 metros de rede de energia elétrica urbana, bem como a instalação de postos de transformação. Investimentos desta diretoria da ordem de R$ 4.800.000,00.Benefícios econômicos e sociais para o Estado:Geração de empregos diretos e indiretos, com utilização de mão de obra no local de cada obra; criação de novas perspectivas para o setor agrícola, possibilitando o fortalecimento da agro-indústria, reduzindo as desigualdades sociais no campo e aumentando a geração de renda principalmente para a família do pequeno produtor; economia para o Estado uma vez que aumentando a renda desse segmento da população, diminuem os custos do Governo com programas sociais e melhoria das condições de vida da população urbana e rural, levando mais conforto às residências.TRANSPORTES Melhorar e ampliar o sistema de transporte no Tocantins e uma das metas do Governo do Estado. A Secretaria de Infra-estrutura fez a elaboração de projetos executivos e de sinalização para os aeródromos de Araguacema, Palmeirópolis e Pedro Afonso; conclusão do aeródromo de Araguacema e recuperação da sinalização luminosa noturna do aeroporto de Porto Nacional. Coordenação do transporte coletivo rodoviário intermunicipal conciliando as atividades do transporte alternativo com o transporte coletivo. Realização de fiscalização; avaliação da operacionalidade das linhas; vistorias técnicas e atendimento aos usuários e postulantes de linhas. Investimentos desta diretoria da ordem de R$ 2.230.000,00.Benefícios econômicos e sociais para população:Com a implantação dos aeródromos em um primeiro momento são criados empregos, o que por sua vez gera a circulação de recursos dentro do município contemplado, após essa fase o aeródromo torna-se um portal de entrada de investidores, comerciantes, políticos e usuários do transporte aeroviário.A interligação com outras localidades do Estado ou mesmo do País através do transporte aéreo vêm facilitar de uma maneira direta e indireta a migração de benefícios sócio-econômicos para a região, além disto é o meio de transporte mais rápido para situações de emergência.OBRAS PÚBLICAS Elaboração de 51.480 metros quadrados de projetos de engenharia; construção de 77.464 metros quadrados de prédios públicos e execução de serviços de manutenção dos prédios públicos através de 110 contratos. Investimento da ordem de R$ 36.045.826,96.Benefícios econômicos e sociais para a populaçãoGeração de empregos diretos e indiretos, com utilização de mão de obra no local de cada obra; fortalecimento da infra-estrutura do Estado, principalmente nos municípios mais carentes com a construção de escolas, creches, hospitais, postos de saúde, delegacias de polícia, etc; melhoria do atendimento à população nos serviços prestados pelo Estado, através de construções modernas e confortáveis, melhorando também as condições de trabalho dos funcionários e economia para o Estado com construções planejadas e projetadas para atender necessidades específicas, racionalizando uma série de custos. Trabalhos de Conservação Foram várias frentes de trabalho, durante todo o ano, com serviços de manutenção e conservação de estradas e prédios púbolicos. Em terraplenagem de 2.358.510,30 m³ de rodovias foram investidos um total de R$ 6.603.828,84; 23.98,70 Km de revestimento primário, inclusive terceirizado, no valor de R$ 19.716.542,80; Patrolamento de 24.690,45 Km de rodovias estaduais e 11.545,09 Km de rodovia municipais com investimentos na ordem de R$ 2.713.317,24; Desmatamento de 2.767,97 há no valor de 2.136.872,84; Construção de 195,00 m de bueiros, 1.142 cacimbas, 296 m de pontes de concreto armado em rodovias estaduais não pavimentadas, reforma e construção de 159 m de pontes de madeira, totalizando investimentos na ordem de R$ 2.294.084,13; 66.964,75 horas-máquinas trabalhadas para serviços de manutenção das rodovias estaduais e outros serviços no valor de R$ 3.362.969,75; 3.392,92 Km de caiação, limpeza e roçada manual das faixas de domínio das rodovias estaduais pavimentadas;Fabricação de 4.121.58 m³ de pré-misturado a frio para os trabalhos de tapa-buracos nas rodovias pavimentadas.Aquisição de 10 balanças rodoviárias fixas para serem instaladas em pontos estratégicos do Estado;Fiscalização e pesagem de 264.204 veículos de carga, nos postos de balanças fixas e pontos estratégicos com duas balanças móveis.Benefícios econômicos e sociais para o Estado:Facilidade no escoamento de produção, transporte escolar, melhor segurança e menor tempo de viagem para os usuários das rodovias, contribuindo assim na economia do valor dos transportes.Geração de empregos locais diretos e indiretos, geração de renda e receita cambial.Manutenção e conservação do patrimônio público estadual.Ajuda aos municípios que não possuem recursos suficientes para os trabalhos acima mencionados.

Compartilhe esta notícia