Cidadania e Justiça apoia realização da Semana da Diversidade Sexual e de Gênero do Tocantins

12/06/2019 - Pedro Ícaro /Governo do Tocantins

Em junho é celebrado o mês do Orgulho LBGTI+ e várias cidades brasileiras mantém programações voltadas para o público, principalmente movimentos de reivindicação de direitos e combate à violência contra lésbicas, bissexuais, gays, transexuais e travestis e intersexuais e a qualquer tipo de intolerância com relação a identidade de gênero ou orientação sexual. Dessa forma, ocorrerá entre os dias 13 e 16 de junho, a Semana da Diversidade Sexual e de Gênero do Tocantins com o apoio da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju). 

A gerente de Diversidade e Inclusão Social da Seciju, Nayara Brandão, reconhece a necessidade de dar suporte e conta como esse apoio é necessário para o desenvolvimento de medidas protetivas para a comunidade LGBTI+. “Além de auxiliarmos com informações para que o direito de todas as pessoas seja respeitado, é de suma importância que sejam desenvolvidas no Estado políticas públicas para a diminuição do preconceito e da violência a essa população”, ressaltou a gerente.

Programação da Semana

A programação da Semana da Diversidade Sexual e de Gênero do Tocantins será iniciada nesta quinta-feira, 13, às 18 horas, no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB – Seccional Tocantins), com a palestra Atualidades dos direitos LGBTI+ - Provimento 73 do CNJ e direitos reprodutivos de pessoas transgêneros, proferida pela secretaria geral da Comissão Nacional de Diversidade Sexual e de Gênero do Conselho Federal da OAB, doutora Chynthia Barcellos. No domingo, 16, a Semana se encerra com a 16º Parada LGBTI – 50 anos de (re) existência LGBTI+ organizada pelo Coletivo da Diversidade Tocantinense.

A palestra é aberta ao público e segundo o presidente da Diversidade Sexual da OAB Tocantins, Landri Alves, a iniciativa levará informação e esclarecimento sobre o assunto, auxiliando no fim da intolerância à essas pessoas. “A palestra tem como intuito combater e inibir a desinformação, a intolerância e desumanidade. A diversidade, o amor, a liberdade, a verdade e a dignidade precisam ser disseminadas”, falou o presidente.

Na sexta-feira, 14, no Espaço Cultural, às 19 horas, acontecerá uma palestra sobre O movimento LGBTQI no Tocantins em seus 16 anos de (re) existência, com o professor doutor da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Damião Rocha. Em seguida ocorrerá roda de conversa e a primeira exposição fotográfica do movimento LGBTI do Tocantins, denominado Memorial Fotográfico Literário e Artístico LGBT do Tocantins.

No sábado, no Lanterna Lounge Bar, uma confraternização foi preparada para informar o público sobre como será a Parada LGBTI no domingo, 16. “Será uma programação bem acolhedora, respeitando à diversidade de gêneros binários e não binários. Onde artistas locais e regionais terão à oportunidade de mostrar sua arte. Também terá grupos auto-gestionados, para dialogar entre si, sobre suas necessidades coletivas, para encaminhar para sociedade tocantinense, nossos anseios”, ressaltou o presidente do Coletivo da Diversidade Tocantinense, Thassio Paz.

16º Parada LGBTI – 50 anos de (re)existência LGBTI

A parada LGBTI de Palmas está em sua 16ª edição e é organizada pelo Coletivo da Diversidade Tocantinense, que todos os anos articula para que o evento aconteça de forma agradável e para todos. A concentração para o evento ocorrerá no Parque Cesamar no domingo, 16, a partir das 14 horas. A Parada, além de ser um momento de descontração, tem o objetivo de reivindicar os direitos de pessoas LGBTI+.

Acredita-se que o reconhecimento e a informação são instrumentos para o combate a LGBTfobia e a parada deve ter visibilidade para que isso aconteça efetivamente. “O intuito é enaltecer sobre os diferentes tipos de pessoas, corpos e suas diversidades. Reforçar que somos contra o machismo, a misoginia, LGBTIfobia, racismo e a exclusão das pessoas não binárias. Pois acreditamos que à sociedade só avança, respeitando à todas e todos, e com equidade” comentou o presidente do Coletivo em relação a importância desse ato.

Junho, mês do orgulho LGBTI+

Até a década de 60, os Estados Unidos tinha regras contra o relacionamento homoafetivo e punia cruelmente quem infringia essas normas como prisão perpétua, choque elétrico e lobotomia. Em 1960, ainda tinham poucos locais que LGBTI+ frequentavam, um deles era o bar Stonewall Inn. O local era onde lésbicas, travestis e trânsgeneros, homens gays, drag queens se encontravam para momentos de lazer, entretanto frequentemente batidas policiais truculentas eram realizadas no local.

No dia 28 de junho de 1969, o público do bar se revoltou contra a polícia e chamou atenção do mundo para a importância dos direitos LGBTI+. Dessa forma, em comemoração ao aniversário da Revolta, muitos países fazem sua parada LGBTI+ nesse dia e celebra o mês de junho inteiro com programações que tem intuito de levar visibilidade a comunidade.

“O tema da parada significa relembrar à história da revolta de Stonewall, em Nova York, onde nossa comunidade LGBTI+ norte-americana começou ir às ruas para não permitirem mais às repressões policiais. Esse processo de organização, fez com que nossa comunidade tivesse força para lutar e (re)existir, promovendo à liberdade de todas e todos”, ressaltou Thassio Paz.

Mais informações

Para saber mais detalhes sobre a programação acesse a página do Coletivo da Diversidade Tocantinense (https://bit.ly/2XEoul8) ou siga o instagram da Diversidade IBDFAM TO (https://bit.ly/2XCE0xQ).

 (Com supervisão de Shara Rezende/Governo do Tocantins)