Hospitais do Tocantins fazem mutirão de laqueadura

13/09/2013 - Ascom / Sesau

O Hospital de Referência de Portal Nacional (HRPN) realiza neste sábado, 14, o 1º Mutirão com Laqueadura Moderna no município, usando o método de ultima geração “essure”. Vinte mulheres serão beneficiadas. Essa ação faz parte do Programa de Planejamento Familiar desenvolvido pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) em parceria com município de Porto Nacional.

A ação será realizada no hospital em dois horários: dez pacientes serão atendidas às 7h e outras dez, às 10h da manhã. Segundo o médico Valdir Francisco Odorizzi, que vai realizar os procedimentos no Hospital, “esse é um dos métodos mais eficazes de contracepção hoje no mercado, além de oferecer menos risco para a paciente, já que não é um procedimento cirúrgico”, explicou.

Em Miracema e Gurupi mulheres também serão beneficiadas com o 3º Mutirão de Cirurgias neste sábado, 14, no Hospital de Referência de Miracema, a partir das 7h. Durante todo o dia serão realizadas dez cirurgias de laqueadura em mulheres devidamente triadas e encaminhadas pelas Unidades Básicas de Saúde dos dois municípios.

De acordo com a Diretora Geral do hospital as pacientes beneficiadas atendem aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde para este tipo de procedimento. Os critérios são: ter idade superior a 25 anos, mais de dois filhos, indicação médica e consentimento do cônjuge.

O Hospital realizará outro mutirão de cirurgia voltado especificamente para mulheres no próximo sábado, 21, quando serão realizados procedimentos de perineoplastia e histerectomia.

A Sesau já oferta este procedimento em Palmas deste o dia 8 de março deste ano, onde já foram beneficiadas 129 mulheres. De acordo com a enfermeira e articuladora do método Essure, Mônica Araújo, o procedimento tem muitas vantagens já que não exige anestesia geral,é feito sem cortes, o tempo de recuperação é curto e o procedimento pode ser realizado em apenas 10 minutos.

Método

Essure é um dispositivo que consiste em um microimplante macio e flexível, de apenas quatro centímetros, em titânio e níquel (materiais que apresentam excelente compatibilidade com o organismo) que, introduzido pela vagina através de um equipamento extremamente fino (Histeroscópio), é colocado em cada uma das tubas uterinas, sem cortes (e por isso não necessita anestesia), sem liberação de hormônios, sem internação e sem a necessidade de afastamento das atividades diárias.

O método 'essure' é aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Nas semanas que seguem ao procedimento, o corpo e os microimplantes trabalham juntos para formar uma barreira natural que impede o espermatozóide de alcançar o óvulo. Por esse motivo, durante os três primeiros meses, a paciente deve continuar a usar outra forma de contracepção. Após este período, é realizada uma radiografia simples da pelve e, confirmada a oclusão, não é mais necessário o uso de outro método contraceptivo.