No Tocantins tem sustentabilidade econômica, social e ambiental

30/12/2008 - Iranilde Gonçalves

Com o Programa Valorização da Agricultura Familiar, que tem a finalidade de organizar, produzir e agregar, o governo do Estado, por meio do Ruraltins - Instituto de desenvolvimento Rural do Tocantins e com a dedicação dos extensionistas rurais, promove uma assistência técnica e extensão rural de qualidade. As ações em todo o Estado, conforme planejadas no PPA - Plano Pluri Anual 2008, beneficiaram mais de 34 mil agricultores familiares, pequenos e médios produtores, destes 28.252 só de agricultores familiares.

Entre os principais programas, projetos e ações de inclusão social, econômica e ambiental destacam-se O PAA - Programa de Aquisição de Alimentos, executado com recursos do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate á Fome, que beneficiou este ano mais de 1.929 agricultores e85.869pessoas em risco nutricional e alimentar em 82 municípios do Estado. O programa tem como objetivo combater a fome, promover a inclusão econômica e social dos agricultores familiares e o acesso de pessoas em risco nutricional e alimentar a uma boa alimentação; Projeto Estadual Quintal Verde, que visa à redução do índice de desnutrição em especialmente entre crianças, melhoria alimentar e nutricional das famílias de baixa renda e a produção de hortaliças no meio rural e urbano como forma de geração de renda, com a implantação de24.897 hortas beneficiando140.620 pessoas; realização de 54 feiras e encontros da agricultura familiar, que beneficiou diretamente mais de 4.500 agricultores e indiretamente28.000 pessoas. As feiras e encontros tiveram como foco principal, o fortalecimento organizacional, a comercialização e a conquista de novos mercados para os produtos da agricultura familiar; Crédito Rural, que disponibilizou recursos em torno de 230 milhões aos agricultores familiares e produtores em todo Estado, por meio do acesso às linhas de crédito do Banco do Brasil, Banco da Amazônia e Secretaria de Fomento do Tocantins. O crédito rural é considerado pelos extensionistas uma ferramenta fundamental para o desenvolvimento no meio rural, com destaque especial para a linha PRONAF Jovem e Mulher, que promoveu a inclusão social e econômica dos mesmos; A promoção da cidadania no meio rural, que em parceria com outros órgãos levou até as comunidades mais distantes, informações e ações sobre segurança no trabalho, direitos e deveres, prevenção de doenças, exames, documentos de identidade, CPF e certidão de nascimento. As ações beneficiaram cerca de 10.200 pessoas em mais de 80 municípios tocantinenses.

Para minimizar os problemas da seca na região sudeste, o destaque vai para o Projeto Estadual Barraginhas. O governo do Estado está implantando em quinze municípios 300 barraginhas com recurso próprio e ainda conveniando com a Fundação Banco do Brasil a construção de mais 500, das quais beneficiarão mais de 10 mil pessoas.

No que se refere ás ações dos extensionistas rurais no campo, os profissionais têm um papel fundamental para o desenvolvimento do Estado. São eles que levam até às mais distantes comunidades rurais o progresso, o desenvolvimento, o crescimento, a inclusão social, ambiental e econômica de fato.

Com objetivo de valorizar também a participação ativa dos agricultores familiares no processo de desenvolvimento do Estado, destacamos algumas comunidades pertencentes às sete regiões administrativas das quais o Ruraltins desenvolve suas atividades.

Em Araguaína, encanto, beleza e harmonia são destaques na região com o cultivo das flores tropicais. Homens e mulheres encontraram uma nova alternativa de melhorar a renda familiar e se tornarem independentes financeiramente. A região já é conhecida no Estado e em outras regiões do País como uma das principais cidades do Tocantins no ramo.

Com relação às questões ambientais, o destaque fica com Projeto de Assentamento Alegre, lá os agricultores e extensionistas rurais apostaram no SAF´s conhecido como sistema agroflorestal, que busca a recuperação de áreas degradadas e preservação de espécies nativas. O SAF´s, além de trazer de volta aves praticamente desaparecidas na região, traz, também, renda, reconhecimento e a consciência de que preservar é preciso.

Já em Araguatins o destaque é a diversificação da produção, palavra prioritária quando tratamos de produção na agricultura familiar. Em Axixá, na região do Bico do Papagaio, extremo norte tocantinense, destacamos o agricultor familiar Francisco de Assis. Ele é exemplo quando o assunto é diversificação. Em pouco mais de dois hectares ele tem uma produção de mais de 25 itens, entre elas a criação de pequenos animais, cultivo de frutas, grãos e mel.

Outro exemplo é a produção de polpa de frutas, em especial de frutas nativas como o bacuri, murici e outras frutas cultivadas como goiaba, caju e acerola. O agricultor familiar José de Ribamar Holanda do projeto de Assentamento Canto do Araguaia no município de Araguatins, vem agregando valor ao produto, gerando renda e conquistando novos mercados.

Na região sul, a melhoria está na criação de frango caipira melhorado, alimento que não falta na mesa dos tocantinenses, graças aos grandes avanços da produção entre os agricultores familiares. A Associação Vale Verde e Porteira, que estão localizadas no município de Gurupi, é a prova desses avanços. Só em 2008 ampliou a criação em 80% e o destaque está entre as mulheres a exemplo de Jesuíta Barros Lima e Patrocínia da Silva Jorge.

Antigamente o mel era considerado como remédio pelos consumidores, mas com os avanços e divulgação das potencialidades do produto, o mel se tornou um alimento essencial na mesa do brasileiro. No Tocantins, muitos municípios se destacam pela produção e um deles é Lizarda, que fica no Jalapão, uma região conhecida internacionalmente pelas belezas naturais.

Com sabor forte e encorpado a cachaça de alambique vem se destacando no cenário tocantinense. Hoje o Estado produz mais de 315 mil litros por safra e o município de Silvanópolis está incluso neste cenário.

Quando o assunto é fortalecimento da organização social os agricultores também se destacam, conquistando bons resultados. Neste ramo, destacamos o Projeto de Assentamento Renascer do Crédito Fundiário, em Porto Nacional, que com o trabalho incansável de Meluzina Fernandes Matos e seus associados vem fazendo a diferença.

Na produção de mandioca para o consumo e fabricação da farinha destaque para o projeto de assentamento Flor do Campo, comunidade localizada no município de Brejinho de Nazaré. Lá, a produção chegou a 18 toneladas por hectare.

Já na região oeste, o destaque vai para o município de Araguacema e Caseara, nas margens do Rio Araguaia. Em Caseara, o grupo de mulheres extrativistas trabalha com extração de óleos vegetais de frutos e sementes nativas. Já em Araguacema, os alimentos à base de peixe, processados pelos pescadores artesanais, conquistaram o paladar dos tocantinenses. A associação produz cerca de 600 kg/mês entre filé, quibe, enroladinho de peixe, hamburguer, lingüiça de peixe entre outros. A pesca artesanal no Estado, de acordo com o gerente de piscicultura do Ruraltins, produziu cerca de 1.750 toneladas nos anos de 2007 e 2008.

Na região sudeste do Estado destacamos a produção da famosa cachaça 'Dama dos Azuis'. Só a região coloca no mercado 115 mil litros por safra. E ainda a produção familiar de hortaliças em sistema circular da comunidade Quilombola Lagoa da Pedra e a produção de hortaliças de forma convencional em Conceição, quem vem mudando a realidade das famílias de agricultores familiares com a geração de renda e novos postos de trabalho.

Para o presidente do Ruraltins, Sebastião Pelizari Junior, o órgão, em 2008, cresceu e teve várias conquistas, como o crescimento de 36% no orçamento; valorização profissional com cursos em áreas finalísticas e pós-graduações para os extensionistas; início da construção da nova sede do órgão em Palmas; aumento no volume de recursos do governo federal, que dobrou em relação a 2007; renovação e ampliação da frota e do parque tecnológico (informática); interligação por meio da intranet/internet em 70% das Unidades Locais do Ruraltins e melhoria das condições físicas de trabalho com reformas e aquisição de mobiliário, máquinas e equipamentos. 'Temos muito que agradecer, em especial ao governador Marcelo Miranda, que nos deu condições para desenvolver um bom trabalho e aos extensionistas que desempenharam seu papel no meio rural com qualidade e eficiência', afirma Pelizari.

Hoje, o órgão conta com 87 ULES - Unidades Locais de Execução de Serviços instaladas no Estado, com abrangência a 122 municípios e sua força de trabalho com 687 servidores das mais diversas áreas.