Polícia Civil prende em flagrante dois suspeitos de furto de energia

24/01/2020 - Wherbert Araújo/Governo do Tocantins

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra Concessionárias de Serviço Público (DRCSP), prendeu na noite dessa quinta-feira, 23, dois homens suspeitos de infringir o artigo 155, § 3º do Código Penal Brasileiro (Furto de Energia Elétrica), em uma distribuidora de bebidas, localizada no Plano Diretor Sul.

De acordo com o delegado Rodrigo Ferraz, os dois homens, sendo o proprietário do estabelecimento e um homem contratado para realizar a religação irregular foram autuados em flagrante. “A equipe desta Delegacia, no período noturno, foi a campo e encontrou um homem no momento que terminava realizar a ligação direta (clandestina ou gato), a qual não era medida, foi abordado e confessou que foi contratado pelo proprietário para fazer a referida ligação, em seguida chegou ao local o proprietário, com a realização de perícia técnica, que constatou a ligação irregular”, pontuou.

Ainda segundo o delegado, os autores foram conduzidos para a Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra Concessionárias de Serviço Público (DRCSP), bem como foi solicitado à concessionária de energia que encaminhasse uma equipe no estabelecimento para realizar a correção na Unidade Consumidora. “O Inquérito foi instaurado e os dois autores responderão pelo crime em liberdade, desde que não descumpram as obrigações constantes na fiança. Teremos agora 30 dias para concluir o Inquérito Policial”, afirmou.

Flagrante

Ainda de acordo com o delegado, os autores foram autuados em flagrante pelo crime em tese tipificado no artigo 155, § 3º do Código Penal Brasileiro e foram arbitrados os valores das fianças. “É importante salientar que tanto os responsáveis pelas residências ou estabelecimentos comerciais que estão incidindo no crime em tese tipificado no artigo 155, § 3º do Código Penal Brasileiro como a pessoa que faz a ligação clandestina [gato] são considerados autor e coautor e respondem ao referido ilícito”, informou.

Compartilhe esta notícia