Projeto de irrigação São João recebe visita de representante do Banco Mundial

03/12/2019 - Daniela Oliveira/Governo do Tocantins

O Projeto de Irrigação São João, localizado no município de Porto Nacional, recebeu nesta terça-feira, 3, a visita da especialista sênior em Desenvolvimento Rural do Banco Mundial, Fátima Amazonas. A missão tem como objetivo fazer a supervisão do andamento do projeto que é desenvolvido pelo Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura, Cidades e Habitação (Seinf), com investimento do Banco Mundial (Bird), pelo Programa de Desenvolvimento, Integrado e Sustentável (PDRIS). 

Na avaliação de Fátima Amazonas, o projeto está avançando de forma positiva. “Aqui, há um potencial enorme. E o que foi feito até agora, com o diagnóstico e as diretrizes em relação ao que ainda falta fazer dá ao Estado e aos irrigantes os elementos necessários para compor uma parceria, juntamente com outros entes, para desenvolver ao máximo o perímetro”, destacou.

Na ocasião, foram visitadas as estações pressurizadas e de bombeamento e supervisionada a execução das obras de revitalização do sistema de bombeamento de irrigação do Projeto. De acordo com o superintendente de Irrigação e Drenagem da Seinf, Marcus Carlos Costa, nesta etapa o Estado tem, dentro do Projeto São João, o contrato para a revitalização das estações de bombeamento, da gestão integrada, para o apoio à comercialização e de pesquisas quanto à contaminação por agrotóxico. “São os itens que o Banco está apoiando e está fazendo o monitoramento”, reforçou. 

O superintendente explica ainda que, nessas visitas, novas propostas podem ser apresentadas de acordo com as demandas levantadas pelos irrigantes do distrito. “Durante esta visita, novas propostas foram apresentadas e serão encaminhadas ao banco. Havendo uma avaliação positiva por parte banco, vamos entrar com o financiamento”, acrescentou.

A proposta é que, com os investimentos, os produtores do Distrito possam assumir a gestão do perímetro irrigado, incluindo a operação e a manutenção de toda estrutura. O produtor Marcos Ribeiro Ferreira, que mantém uma policultura há seis anos no Distrito, acredita que algumas demandas ainda precisam ser atendidas antes dos irrigados assumirem o Distrito. “Três ações são importantes como a revitalização dos cavaletes, para que se possa mensurar a quantidade de água utilizada por cada produtor; uma entrada única onde conseguíssemos o controle com maior segurança; e a utilização de energia fotovoltaica”, pontuou.

Das demandas apresentadas, Marcus Carlos Costa lembrou que já foi liberado, pelo Banco Mundial, o valor de R$ 485 mil para a reforma do centro administrativo e da oficina mecânica, bem como para a construção de um pórtico de entrada no distrito de irrigação.

Também participaram da visita técnicos da Seinf, a gerente do estudo pela Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto), Raquel Lima; o diretor da unidade de gerenciamento de projetos da Secretaria de Estado da Fazenda e do Planejamento (Sefaz), Maurício Fregonesi; e representantes da empresa HDN e da empresa Nippon.

Projeto

O Projeto de Irrigação São João, iniciado em 2001, compreende uma área de 3,5 mil hectares com infraestrutura de irrigação para a produção de hortifrúti em 359 lotes de pequenos produtores e 35 lotes empresariais. Atualmente, o distrito conta com uma área de produção de 1,1 mil hectares, objetivando a ampliação dessa área produtiva até a área total. As principais culturas são abacaxi, banana, manga, melancia, coco e açaí. A produção do distrito abastece Palmas e região e ainda os estados do Pará, Minas Gerais e Goiás e o Distrito Federal.

Com investimentos no projeto, o Estado gera aproximadamente 1,2 mil empregos diretos e indiretos.

Compartilhe esta notícia