Roteiros de ecoturismo garantem lazer para quem busca opções sem folia

21/02/2020 - Seleucia Fontes/Governo do Tocantins

Carnaval no Tocantins rima com diversão em diversas folias por dezenas de municípios, mas também oferece boas oportunidades para quem busca passar o feriado prolongado em atrativos de natureza singular. O Estado é dividido em sete regiões turísticas: Encantos do Jalapão, Lagos e Praias do Cantão, Ilha do Bananal, Serras Gerais, Serras e Lagos, Bico do Papagaio e Vale dos Grandes Rios, sendo que, neste ano, os empresários do turismo estão animados com a alta procura pelos roteiros oferecidos. 

O Jalapão continua sendo referência para os turistas que buscam na região o cenário exótico que mistura deserto, cerrado e floresta, com a singularidade dos fervedouros, a beleza das cachoeiras da Velha e da Formiga, as corredeiras do Rio Novo, ideais para prática do rafting, o nascer e o pôr do sol nas dunas, e o artesanato em capim dourado, produzido pelas comunidades locais.

Todos os anos, durante o Carnaval, também ocorre a Expedição Cicloturística do Jalapão MTB Tour, passando por matas de galeria que surgem próximas de rios, cachoeiras, lagoas, dunas com areia dourada, serras e chapadões de até 800 metros de altura. São mais de 500 km (bike e veículos 4×4) de pura emoção off road percorridos em cinco dias.

“Todo ano, desde 2013, faço o Jalapão como evento no período do Carnaval e faço a qualquer momento para grupos particulares”, conta o idealizador do projeto, Edésio Tolentino, informando que para 2020 já estão programadas cinco viagens. Entre os atrativos inclusos no roteiro estão a Cachoeira das Araras, a Serra do Espírito Santo, os povoados de Mumbuca (Mateiros) e Prata (São Félix).

Conforme a superintendente de Turismo da Agência de Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), Maria Antônia Valadares, o número de turistas no Jalapão vem crescendo ano a ano, especialmente no feriado de Carnaval. Um novo levantamento será realizado na Fazenda Triago, que dá acesso para a Cachoeira da Velha.

Serras Gerais

A região das Serras Gerais é formada por nove municípios. Em Dianópolis, há a folia mais animada, embora a oferta de atrativos turísticos não deixe nada a desejar. Só para citar algumas das opções mais procuradas, é nesta região que ficam a Lagoa do Japonês (Pindorama), a Lagoa da Serra (Rio da Conceição), o Rio Azuis (Aurora) e o Cânion Encantado (Almas). Em 2020, o turista não perdeu tempo, os hotéis das cidades estão com ocupação máxima. “Este ano, estou com sete vezes mais clientes do que ano passado”, comemora a operadora de turismo, Fernanda Tainã Castro.

Cantão

Quem pensa no Cantão apenas como opção de veraneio pelas praias, no mês de julho, pode ter uma grande oportunidade de conhecer a região no período da cheia. No Parque Estadual do Cantão e na Ilha do Bananal, é possível se deslumbrar e registrar em fotografias a transição do Cerrado, da Amazônia e do Pantanal dividindo o mesmo espaço.

Quando as águas encobrem parte da vegetação, é possível navegar pela copa das árvores, realizar safáris fotográficos, conhecer a Lagoa da Confusão e a sede do Parque Estadual, percorrer alguns dentre os mais de 800 lagos existentes na região, visitar a aldeia indígena Javaé, na Ilha do Bananal, em um contato direto com a mãe natureza e as comunidades locais. “Quem vier ao Jalapão, pode aproveitar para vir ao Cantão e conhecer nossa transição de biomas”, sugere o operador de turismo, Leonardo Azevedo.

O secretário de Estado da Indústria, Comércio e Serviços (Sics) e responsável pela Adetuc, Tom Lyra, lembra o trabalho de fomento ao turismo desenvolvido desde o início da gestão Mauro Carlesse e aponta o esforço dos empresários do trade turístico como um dos fatores de atração de visitantes. “Temos muitos projetos pela frente”, comemora.

Compartilhe esta notícia