Socioeducanda se destaca com produção de artesanato

03/12/2019 - Marcos Miranda/Governo do Tocantins

O incentivo ao trabalho é uma forma de levar o adolescente que cometeu ato infracional a perceber o mundo de possibilidades que o mercado dispõe para gerar renda. Uma adolescente do Centro de Internação Provisória (Ceip) Central, em Palmas, aprendeu a trabalhar peças em crochê com as agentes de segurança socioeducativa, e começou a pôr isso em prática. Hoje, ela tem levado seu trabalho para fora dos muros da unidade e é uma inspiração para outras pessoas que estão no Sistema Socioeducativo.

A chefe de Unidade, Marina Vila Real Cidião, explicou que a ociosidade pode ser um problema, e a vontade de toda a equipe é ver as adolescentes da unidade trilharem um novo rumo, por isso o esforço mútuo para ensinar técnicas e atividades. “Esse trabalho é desenvolvido com o auxílio e a orientação das agentes de segurança com o objetivo de geração de renda. O que a gente deseja é que elas entendam que há como trabalhar de forma digna”, resumiu.

A socioeducanda T.P.S., de 16 anos, falou sobre suas intenções e que quer aprender mais sobre artesanato. “Hoje, faço duas peças por dia. Tenho muito interesse de continuar trabalhando, quero ter dinheiro pra ajudar minha família, para sair daqui e fazer diferente, criar meu filho, e para isso quero me profissionalizar”, explicou a adolescente que produz tapetes, roupas e porta celulares em crochê.

Marina Vila Real Cidião explicou ainda que a proposta é incentivar as demais socioeducandas e transformar a ação em um projeto. “A ação começou de forma espontânea, mas a intenção é fazer disso um projeto dentro da unidade”, finalizou.

Compartilhe esta notícia