Tocantins terá R$ 2,5 bilhões de instituição financeira para produtores investirem em atividades agrícolas

02/07/2020 - Edvânia Peregrini e Lúcia Brito/Governo do Tocantins

O Estado do Tocantins terá R$ 2,5 bilhões do Banco do Brasil para produtores rurais investirem em suas atividades agrícolas. Esse valor foi anunciado nessa quarta-feira, 1º de julho, durante o lançamento do Plano Safra 2020/2021 pelo Banco do Brasil. No total, o banco vai destinar R$ 103 bilhões para todo o país. Valor 11% superior à safra passada.

O secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Aquicultura e também presidente do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Thiago Dourado; e o vice-presidente do Ruraltins, José Aníbal Lamattina, participaram da videoconferência, realizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), conduzida pela ministra Tereza Cristina e pelo presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes.

Para o gestor Thiago Dourado, a proposta do banco vem ao encontro das ações prioritárias do órgão, visando à sustentabilidade. “A instituição tem um foco muito interessante de financiamento para projetos sustentáveis, como, por exemplo, todos os projetos vinculados ao Plano ABC e outros que têm o mesmo viés de sustentabilidade. Outro ponto de destaque é o foco nos pequenos produtores e nos agricultores familiares”, destacou.

Com o objetivo de gerar renda para as famílias de produtores rurais que vivem no campo, bem como promover o acesso a novas tecnologias de produção, o Governo do Tocantins, por meio do Ruraltins, prioriza o acesso ao crédito e a elaboração de projetos técnicos para fins de financiamentos. Para isso, vem realizando no Estado, o Mutirão do Agrocrédito, uma iniciativa conjunta entre as instituições financeiras, gestão pública e produtores.

“O Banco do Brasil é uma das instituições parceiras da extensão rural tocantinense na contratação de crédito. Nas duas últimas safras, conseguimos viabilizar, junto ao Banco do Brasil, mais de R$ 14 milhões de 287 projetos, possibilitando ao produtor mais investimentos em seu estabelecimento rural, tanto na produção de alimento quanto na estruturação da propriedade”, ressaltou o vice-presidente José Aníbal, acrescentando ainda que o produtor interessado em obter linhas de financiamento, basta procurar um dos escritórios do Ruraltins mais próximos da localidade onde mora.

Plano safra 2020/2021

O Banco do Brasil, do total de R$ 103 bilhões, reservou R$ 10,3 bilhões às agroindústrias e R$ 92,7 bilhões para o crédito rural - R$ 64,6 bilhões vão financiar a safra da agricultura empresarial, R$ 14,4 bilhões para os médios produtores e R$ 13,7 bilhões para a agricultura familiar.

Já os juros variam de 2,75% e 4% ao ano para custeio e comercialização de pequenos produtores, participantes do Pronaf. Para os médios produtores rurais vinculados ao Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), as taxas de juros praticadas foram reduzidas para 5% ao ano - ante 6% na safra anterior. Para os grandes produtores, a taxa de juros será de 6% ao ano.

Participantes

Participaram ainda da conferência de lançamento do Plano Safra do Banco do Brasil, o prefeito de Palmeirantes, Charles Dias; o secretário executivo da Seagro, Adenieux Rosa Santana; o gerente de Crédito Rural do Ruraltins, João Queiroz; e o engenheiro agrônomo do Ruraltins, Marco Aurélio Gonçalves Vaz.

 

Edição: Alba Cobo

Revisão Textual: Marynne Juliate

Compartilhe esta notícia