Violência Obstétrica é discutida em Campanha de Conscientização do Parto Humanizado nesta sexta-feira

06/12/2018 - Ellayne Czuryto/Governo do Tocantins

A Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Gerência de Média e Alta Complexidade, lança a Campanha do dia “D” de Conscientização do Parto Humanizado e Combate a Violência Obstétrica, pela Rede Cegonha. A campanha visa informar as mulheres sobre seus direitos na assistência ao parto. O lançamento acontece nesta sexta-feira, 7, às 8 horas, no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Taquari, em Palmas.

A gerente da Rede Cegonha do Estado, Raquel Marques, explica que violência obstétrica é todo ato praticado pela equipe do hospital, maternidade e unidade de saúde, por um familiar ou acompanhante que ofenda de forma verbal ou física as mulheres gestantes, em trabalho de parto ou ainda no período de estado puerperal.

Raquel cita ainda alguns exemplos de violências praticadas durante o trabalho de parto, como as cesáreas por conveniência médica, procedimentos sem esclarecimentos, impedir a presença de acompanhantes da gestante, exames de toque dolorosos e repetitivos, chacotas, ofensas, ameaças ou humilhações, episiotomia sem indicação (corte vaginal), empurrar a barriga (kristeller) e outras situações contra a gestante.

O evento é voltado para profissionais da saúde, gestantes, acompanhantes, área técnica das maternidades do Estado e atenção básica de saúde do município.